Cinco estratégias de remessa para manter os clientes satisfeitos enquanto protegem os lucros.

Alguns grandes varejistas alimentaram a expectativa de que a remessa sempre deveria ser gratuita. Os empresários e a maioria das empresas de transporte sabem que isso simplesmente não faz sentido. O envio custa dinheiro, e sempre será. Alguém tem que pagar.

Mas 36% dos clientes on-line que abandonam uma compra fazem isso porque não querem pagar pelo frete.

Não importa com quais operadoras você trabalha, oferecer frete grátis custará dinheiro. A boa notícia é que só porque outras empresas oferecem isso não significa que você precise. Seu objetivo é encontrar uma estratégia de remessa que agrade os clientes sem diminuir os lucros.

Em outras palavras, você precisa de uma estratégia de remessa onde todos ganhem.

Se você está apenas aprendendo sobre os métodos de entrega e o cumprimento , você tem três opções gerais: taxas variáveis, taxas fixas e frete grátis. Mas, dentro dessas opções, há muito espaço de manobra; os custos variam muito entre as principais operadoras, com base em alguns fatores diferentes.

Vamos encontrar a melhor estratégia de envio para o seu negócio – e as ferramentas certas para realizá-lo.

Fatores que afetam os custos de envio

Cada uma das opções abaixo desempenha papéis importantes em seus custos finais de envio. É por isso que você precisa de uma estratégia bem ponderada e deliberada.

Peso e tamanho

Um pacote mais pesado, menor em tamanho, pode ou não custar mais do que o envio, do que um pacote mais leve, maior, dependendo da transportadora. Se todos os seus produtos tiverem peso e tamanho semelhantes, sua melhor estratégia de envio será diferente da venda de produtos em vários tamanhos e pesos.

Embalagens e materiais de embalagem

Alguns produtos exigem preenchimento extra para serem enviados com segurança; outros são sensíveis à temperatura, frágeis ou perecíveis. Embalagens especiais, materiais e métodos de envio aumentam os custos de envio. ( Saiba mais sobre embalagem segura que encanta seus clientes .)

Página de loja curada que lista os produtos que eles enviam
Foto © https://curedboulder.com/

A Cured , uma loja on-line que vende queijo, vinho e outros alimentos finos, admite que o frete pode ficar caro, especialmente para alimentos perecíveis: “Vale muito a pena conversar com várias empresas de transporte e negociar tarifas. Você não terá muito espaço de manobra no início, mas deixe que eles saibam o que você está fazendo e o que espera fazer no futuro, e crie uma estrutura de preços que, com sorte, recompensa isso. ” Embora os clientes estejam dispostos a gastar dinheiro com alimentos frescos enviados para todo o país, ainda é importante manter suas taxas baixas.

Recursos humanos

O envio de produtos também requer tempo e pessoal. Você precisa entregar os pacotes à sua operadora ou retirá-los. Você precisa criar etiquetas . Você deve colocar cada produto na caixa, prendê-lo e selá-lo. Alguém tem que gerenciar tudo isso e fazer acontecer. Considere o tempo e o custo do trabalho que entra nesse processo. Considere extensões como o WooCommerce Shipping , que automatizam esse processo e economizam muito tempo.

Margens: determine seus custos de envio

Depois de selecionar uma transportadora, você poderá determinar sua taxa de envio para um tamanho, peso, destino e método específicos. Você pode negociar taxas de desconto com sua operadora ou usar uma extensão como WooCommerce Shipping para economizar até 90% nas taxas de envio USPS.

Mas quanto você deve cobrar dos clientes pelo frete, se houver? Você quer fazer vendas, mas não quer esmagar suas margens.

Digamos que você tenha um produto que custa US $ 20,00 para produzir, US $ 8,00 para enviar e US $ 5,00 para embalar corretamente. Seu custo, antes de qualquer lucro, é de US $ 33,00.

Se você deseja uma margem de lucro de 40%, o valor total cobrado do cliente precisa ser de US $ 46,20. Portanto, você pode listar o produto por US $ 38,20 e adicionar US $ 8,00 em taxas de envio. Oferecer frete grátis reduz suas margens de lucro para 15%. Você também pode cobrar dos clientes uma parte dos custos de envio e acabar em algum lugar no meio.

O que é melhor? Depende. Aqui estão cinco estratégias de remessa a serem consideradas ao decidir o que faz sentido para o seu negócio on-line.

1. Ofereça taxas ao vivo

As tarifas ao vivo, também conhecidas como cálculos de remessa em tempo real, permitem oferecer taxas de remessa pelo custo exato da transportadora para vários tamanhos, pesos e distâncias – cobrar o que você deseja cobrar pelos produtos, sem se preocupar com os custos de remessa. tempo, por isso, se sua operadora aumentar as taxas em 5%, os custos de envio em seu site também serão atualizados. E como os clientes pagam o valor exato pelo envio calculado especificamente para o pedido, aumenta a confiança de que você é honesto sobre as despesas de envio.

Seus clientes também podem escolher entre uma variedade de opções de envio que atendem às suas necessidades. A extensão FedEx Shipping Method oferece mais de dez opções domésticas, incluindo prioridade durante a noite, dois dias, frete e muito mais. Você pode oferecer qualquer combinação dessas opções sem precisar calcular as taxas de cada produto e saber que está cobrando a quantia certa. Extensões semelhantes executam essa funcionalidade para outras transportadoras, incluindo o Método de Envio UPS e o Método de Envio USPS .

Um dos motivos mais comuns para usar taxas ao vivo é porque elas oferecem opções aos clientes. As taxas ao vivo colocam a decisão em suas mãos, o que elas apreciarão. Além disso, como terão várias opções, incluindo opções de envio mais caras, estarão mais dispostas a pagar por opções de custo mais baixo, eliminando a necessidade de você oferecer frete grátis.

2. Oferecer tarifas de tabela

As taxas da tabela usam um conjunto de regras para calcular as taxas de remessa com base em tudo, desde pesos e tamanhos a classes de remessa, totais de pedidos, destinos e número de itens comprados. Eles fornecem o máximo de opções de personalização e são especialmente úteis se você vender produtos que variam em forma, tamanho ou tipo.

Aqui estão alguns exemplos de regras que você pode criar:

  • Somente envie um produto específico se ele fizer parte de um pedido de US $ 20 ou mais.
  • Carregue US $ 5,00 pela remessa de qualquer pacote com peso inferior a oito libras. Cobrar US $ 10,00 por qualquer coisa que pesa oito libras ou mais.
  • Ofereça frete grátis se o destino estiver no estado de Nova York.

Você pode combinar condições para criar regras de remessa complicadas sem configuração complicada. A extensão WooCommerce Table Rate Shipping torna a criação de regras simples e intuitiva.

Página inicial da Joco Cups com fotos de seus produtos
Foto © https://jococups.com/

A Joco Cups usa essa extensão para simplificar seus processos de remessa. Eles vendem garrafas e canudos reutilizáveis ​​e os enviam internacionalmente, o que pode se complicar rapidamente. O envio de tarifas de tabela coloca seus produtos nas mãos dos clientes em todo o mundo, mantendo os custos razoáveis.

3. Ofereça tarifas fixas

O envio de taxa fixa geralmente é o sistema mais fácil de configurar – você cobra a mesma quantia, independentemente do peso ou tamanho do pedido. Isso faz mais sentido se os seus produtos forem semelhantes em tamanho e peso ou se a maioria dos clientes solicitar quantidades semelhantes. Caso contrário, você corre o risco de sobrecarregar seus clientes e perder vendas, ou cobrar menos e perder dinheiro.

Os clientes apreciam o envio de taxas fixas pela mesma razão que os proprietários de empresas: é simples e direto e elimina as suposições do cálculo das taxas.

Você também pode usar o envio de taxa fixa em seus esforços de marketing. Uma mensagem como “O envio é sempre apenas US $ 5,00” tem um apelo natural por sua simplicidade e clareza e pode incentivar os compradores a pedir mais itens sem medo de custos de envio exorbitantes.

Com as configurações padrão do WooCommerce, você pode optar por cobrar uma taxa fixa por item, um custo percentual ou uma taxa mínima .

Se você deseja cobrar uma taxa fixa com base no tamanho da caixa, tente a extensão de taxa fixa de envio de caixas . Ele agrupa automaticamente os produtos em caixas com base em seu tamanho e volume, e permite cobrar uma taxa fixa por cada tamanho de caixa. É um pouco mais complicado do que o envio de taxa fixa tradicional, mas oferece muitos dos benefícios ao calcular taxas ainda mais precisas.

4. Ofereça frete grátis

Os clientes adoram frete grátis! 93% dos compradores compram mais produtos se o frete grátis estiver disponível e 58% adicionam mais produtos ao carrinho apenas para se qualificarem para o frete grátis.

Este não é o ajuste certo para todas as lojas, no entanto. Se os custos de envio variarem drasticamente ou se as margens forem extremamente baixas, você poderá perder dinheiro, mesmo com o aumento das vendas.

O truque é não aumentar todos os seus lucros no frete – por exemplo, aumentando os preços para dobrar os custos de frete nos preços do produto. Se você normalmente cobra US $ 8,00 por um item e custa US $ 3,00 para enviar, você pode oferecer frete grátis e cobrar US $ 11,00. Isso ajuda os clientes a saber exatamente o que pagarão sem nenhuma taxa surpresa no final da compra.

Você precisará considerar os custos de envio dos seus produtos e se os clientes tolerarão preços mais altos. Você também pode tentar uma abordagem de meio e meio: adicione alguns dos custos de envio ao preço do produto e pague o restante, esperando que o aumento das vendas contrabalance as margens menores.

Raspe a página inicial com informações sobre a comida de cachorro
Foto © https://www.scratchpetfood.com.au/

A Scratch Pet Food , uma empresa australiana de alimentos para cães que usa todos os ingredientes reais, vende assinaturas de alimentos que incluem frete grátis para todos os clientes na Austrália. Como eles geram receita recorrente de clientes fiéis, eles podem pagar com frete grátis, sabendo que os benefícios superam quaisquer possíveis desvantagens.

5. Combine várias opções de envio

Se estiver com dificuldades para decidir qual estratégia de remessa usar, combine e combine-as para criar o ajuste certo para o seu negócio.

Uma abordagem comum é oferecer frete grátis para pedidos que atendem a um total mínimo: você pode oferecer frete fixo para pedidos abaixo de US $ 50 e frete grátis para pedidos acima de US $ 50. Se o tamanho médio do seu pedido for R $ 30,00, essa abordagem poderá ser inteligente; incentiva os clientes a adicionar mais aos seus carrinhos e garante que você não perca dinheiro com os custos de envio.

Por outro lado, se você tiver uma variedade de tamanhos de pedidos, pesos de produtos e preços, poderá oferecer frete grátis apenas para USPS Ground e calcular taxas em tempo real para opções de entrega mais rápidas.

Você também pode oferecer frete grátis por um tempo limitado, como parte de uma estratégia de marketing maior. Se você normalmente cobra pelo envio, isso oferece uma maneira de aumentar as vendas em um feriado ou época do ano específica.

Implemente sua estratégia de remessa

Uma estratégia de remessa eficaz consiste em equilibrar as necessidades da sua empresa e dos seus clientes. Considere os custos de envio de cada um de seus produtos e determine a melhor maneira de enviar sem perder dinheiro, enquanto agrada os compradores. E não tenha medo de mudar de tática ao aprender mais sobre o seu público!

O RVTstore oferece tudo o que você precisa para implementar uma estratégia de remessa para seus produtos e negócios.

Ler mais

Por que a resiliência é tão importante para marcas brasileiras enfrentarem a crise?

Como enfrentar o cenário de uma pandemia preservando marcas e negócios? Pausar o investimento em publicidade é a melhor saída? Ou seguir com os esforços de mídia como de costume? Qual é a mensagem certa? Como dizê-la? Para quem dizê-la? Sabemos da complexidade que é navegar pelo mundo em um momento desconhecido como o de agora. E, naturalmente, marcas e empresas têm suas dúvidas de como direcionar o marketing em meio a uma crise como essa, sem precedentes.

Antes de buscarmos respostas possíveis para essas e tantas outras perguntas, um pouco de contexto. Para começar, vamos tentar entender:

Diferentes mercados têm o enfrentamento dos estragos causados pelo coronavírus como um ponto em comum. Mas eles diferem em um fator-chave: o contexto prévio à pandemia.

Ao analisarmos o contexto brasileiro, observamos que a realidade do país já era a de uma quase constância de crises. As oscilações do PIB ao longo de um século são a prova de que os brasileiros são inconscientemente habituados à instabilidade.

Já no final de 2019, uma pesquisa1 mostrava como a esperança do brasileiro parecia abalada: a maioria dos entrevistados disse acreditar que o Brasil estava no caminho errado (54%). E mais: antes mesmo da crise do coronavírus se instalar, os participantes apontaram a saúde como sua maior preocupação.

Números ainda mais recentes nos mostram como essa tendência ficou mais crítica com a crise do novo coronavírus.

A análise dos indicativos revela também o abalo em um pilar conhecido como a fortaleza do brasileiro: o otimismo. Avaliando o contexto atual, a capacidade de ser resiliente pode ser uma peça-chave para marcas que pretendem se adaptar e ultrapassar esse momento sem precedentes. Para ajudar nessa missão, reunimos 3 importantes insights sobre o comportamento do brasileiro em meio à crise.

1. Modo sobrevivência

O panorama instável na economia do país ao longo de um século revela que boa parte dos brasileiros já vivia em modo de sobrevivência.

E ao levar esses dados em consideração, sabemos que as necessidades básicas são as primeiras a serem ameaçadas na pandemia. Alimentação, HPC (higiene, perfumaria e cosméticos), saúde e finanças estão intimamente ligadas a essas necessidades básicas.

As marcas, mesmo em momentos de crise, seguem fazendo parte da vida das pessoas. E, dentro dessa realidade, como as indústrias podem atuar? Para responder a essa questão, é interessante que diferentes setores tenham em mente as necessidades básicas dos brasileiros. Assim, as telecoms, por exemplo, surgem necessárias para promover contato entre quem está distante, além de seguir como uma fonte de entretenimento durante o isolamento.

2. Formação de novos hábitos

Temos visto como o coronavírus e o afastamento social alteraram nossa rotina. Uma pesquisa2 feita ainda no início da quarentena mostrava que 80% das pessoas haviam identificado mudanças significativas na rotina por conta do isolamento:

Uma teoria da ciência comportamental diz que o medo do desconhecido é capaz de acelerar mudanças nos hábitos das pessoas3. O medo em torno da pandemia se sobrepõe e, assim, problemas menores passam a ser relativizados. Essas alterações na rotina mostram que, em tempos de coronavírus, é mais provável que as pessoas comprem uma marca secundária porque a marca líder está em falta na prateleira durante aquela ida estratégica ao supermercado. E é aí que pode estar a janela de oportunidade.

Ainda assim, quais dessas mudanças vieram para ficar? O homeschooling e o home office, por exemplo, surgem como realidades possíveis apenas para pequenas parcelas da população brasileira.

Olhando por outro ângulo, esses dados lançam luz sobre mais uma importante discussão: não seria mais efetivo liderar a oferta de internet gratuita, como item essencial, para todos? Isso porque de 15 a 20 milhões de brasileiros informais fizeram sua primeira transação digital justamente durante a pandemia, a partir do acesso ao Coronavoucher4.

Entendendo as novas demandas, o Magalu saiu na frente e fez um acordo com a CAIXA para disponibilizar pagamento de compras em seu app via Coronavoucher. Um exemplo que mostra como marcas preparadas e com sensibilidade para perceber os novos hábitos têm muito a contribuir neste — e em outros — momentos.

3. Esperança nas marcas

Dado esse contexto, em que boa parte das pessoas no país vive no modo de sobrevivência e tem adquirido novos hábitos, parece natural que elas esperem por ações das marcas capazes de melhorar suas vidas. Inclusive, um estudo recente5 apontou que brasileiros confiam mais nas empresas do que no próprio governo.

E outro número chama atenção: 88% das pessoas6 acreditam que as marcas deveriam agir pelos brasileiros.

Com ajuda dos números, vemos que marcas comprometidas com ações diretas podem navegar com mais resiliência em tempos de crise. Um exemplo disso é a iniciativa Veja com o coração, em que a marca de produtos de limpeza doa parte da sua produção e também prevê o financiamento de mil auxílios no valor de R$ 500 para empregadas domésticas que perderam a renda em razão da COVID-19.

O Itaú é outro exemplo de marca que tem feito a diferença ao flexibilizar as condições para o pagamento de contas e empréstimos, além de ter desenvolvido uma importante plataforma non-branded no combate ao coronavírus: o Todos pela saúde.

Mas, afinal, sua marca deve investir neste momento?

Atender esse chamado dos brasileiros pode fazer a diferença em um momento sem precedentes como o que estamos vivendo — e garantir a saudabilidade da marca. Isso porque sair do ar completamente na crise pode retardar a recuperação dos negócios, segundo diferentes análises feitas em momentos de crise ao longo da história moderna e pós-moderna.

Um estudo7 feito pós-crise de 2008 com mais de mil empresas já nos mostrava que marcas que continuaram seus investimentos em Share of Voice durante a crise se recuperaram cerca de 3 vezes mais rápido, passados 2 anos do momento crítico.

Vale lembrar que, durante a pandemia, com uma audiência mais conectada e muitos concorrentes fora do ar, manter o mesmo Share of Voice pode exigir investimentos menores.

YouTube é um bom exemplo disso. Nos últimos 30 dias, a plataforma cresceu 28% em watchtime — tanto em tempo assistido quanto em número de novos usuários.

Por isso, entendemos que continuar investindo pode garantir o funcionamento da sua marca ou empresa, mesmo em um momento tão incerto. Mas é importante reforçar: investir nesse cenário pede cautela. Antes de ir adiante, considere 3 pontos fundamentais:

  • Se você pode investir em marca neste momento, invista. Caso não possa, faça um esforço para investir de forma eficiente;
  • É importante que sua marca ou empresa entenda que os investimentos desse momento – com a crise de demanda que estamos vivendo – podem não trazer os resultados de curto prazo esperados, mas certamente será uma grande vantagem competitiva na recuperação do longo prazo;
  • É imprescindível ter uma estratégia que adicione valor, adequada com a sensibilidade do momento atual. É hora das marcas ouvirem as pessoas e avaliarem a forma de ajudar.

Para guiar a sua estratégia de mensagem, elaboramos uma matriz: como adicionar valor na crise?

Sempre que necessário, lembre-se do propósito da sua marca para seguir dialogando com o público de forma transparente. Assim você fará a diferença e poderá passar por esse momento como uma marca que, além de ter propósito, se mostra resiliente diante de uma crise.

Ler mais

4 dicas para manter a produtividade no home office

Empresas de todo o mundo estão aderindo ao home office frente à pandemia do COVID-19. Para muitos, essa maneira de trabalhar é nova e surge como um desafio. Pensando nisso, selecionamos 4 dicas para ajudar você a manter a eficiência e extrair o máximo de aproveitamento no trabalho remoto.

Seja por opção, seja por necessidade no contexto atual, as recomendações da OMS reforçam a necessidade de isolamento para diminuir as chances de contágio, trabalhar em casa pode nos dar alguns benefícios, como evitar o trânsito diário, por exemplo. Ainda assim, o home office pode ser desafiador nos quesitos produtividade e aproveitamento do tempo. Pensando nisso, reunimos 4 dicas para você se manter focado, responsável e produtivo ao trabalhar em casa.

Dica 1: Crie processos de trabalho para o seu cérebro

Quando você trabalha em um escritório, a rotina diária de preparação e deslocamento ajuda o cérebro a se condicionar para as tarefas do dia. Se exercitar, ler notícias ou fazer café são alguns processos da rotina que apontam para “o dia começou”. E mesmo em casa, pense em criar processos para incorporar a responsabilidade do trabalho na sua jornada remota.

Se você consegue ser produtivo em qualquer lugar, ótimo. Mas se apresenta dificuldades, eleger um espaço de trabalho na sua casa pode ser uma boa saída. Seja uma sala isolada, uma mesa totalmente equipada ou mesmo parte da mesa da cozinha, a ideia é que esse espaço transmita ao seu cérebro que você está em um local que não interfira na sua produtividade e nem gere distrações.

Sobre distrações: elas são um dos maiores desafios no trabalho remoto. Para manter seu cérebro motivado, evite se dedicar a atividades que não estão relacionadas à sua rotina de trabalho. Por exemplo, separe um horário para lavar a roupa em vez de parar de fazer a apresentação que você está finalizando para estender roupa.

Dica 2: Mantenha-se motivado com uma lista de tarefas

Uma simples lista de tarefas pode fazer milagres. Com ela você pode se manter mais organizado, motivado e produtivo enquanto trabalha em casa. Ao criar a sua lista, pense em grandes objetivos de longo prazo (concluir um projeto) e nos de curto prazo (concluir tarefas que levam você até o grande objetivo). Trabalhar diariamente é muito mais viável do que cumprir uma grande tarefa de uma só vez. Por isso, pense em estabelecer metas menores, permitindo que você visualize o quanto está progredindo. Ao longo do dia, elas também ajudam a fornecer um reforço positivo.

Em vez de tê-la apenas na sua cabeça, escreva ou digite a sua lista. Assim, você não precisará se esforçar para lembrar constantemente do que precisa ser feito, além de ter o prazer de riscar as tarefas concluídas — isso pode ajudá-lo a se manter motivado.

Dica 3: Estabeleça prazos para tudo

O trabalho remoto exige prazos tão sérios quanto os estipulados no escritório. Isso não significa que o seu dia deve ser preenchido inteiramente por obrigações relacionadas ao trabalho, afinal é importante fazer intervalos para um descanso físico, mental e emocional. Ainda assim, não se esqueça de incluir na sua agenda atividades que não estão relacionadas ao trabalho.

Ao criar sua agenda, leve em consideração outros compromissos da sua vida e estabeleça uma rotina para que eles sejam incluídos também. Se você tem um filho, incorpore os cuidados com ele em sua programação. Se você pratica esportes ou faz trabalho voluntário, agende um horário para realizar essas atividades antes e depois do trabalho.

Depois de definir as tarefas do dia, crie um calendário compartilhado visível para os seus colegas de trabalho. Dessa forma, eles saberão quando você está disponível (ou não) para o trabalho e para os compromissos pessoais. Outra boa ideia é garantir que amigos e familiares entendam sua agenda e a respeitem. Defina limites e expectativas, informando — sempre que necessário — que trabalhar remotamente não significa que você está livre o tempo todo.

Dica 4: Crie um fluxo de colaboração

Trabalhar de forma remota pode parecer uma experiência solitária, mas na verdade costuma envolver muita colaboração com seus colegas de trabalho. Seja participando de videochamadas com sua equipe ou com parceiros externos, tomando decisões, determinando tarefas para outras pessoas e mesmo na hora dos feedbacks, trabalhar em casa não exclui interação. Por isso, é importante determinar um fluxo de colaboração enquanto você trabalha remotamente.

Embora o e-mail possa ser útil para oficializar uma decisão ou transmitir informações gerais, as caixas de entrada podem ficar lotadas rapidamente. Se você precisa fazer uma pergunta simples ou enviar uma atualização rápida para sua equipe, aplicativos como o Google Hangouts ou Slack são uma boa alternativa.

Fazer brainstorm ou discussões mais detalhadas exigem uma reunião formal. Muitas vezes, conversar pessoalmente pode ajudar no fluxo de colaboração. Por isso, considere as videochamadas para auxiliar nestes momentos. Além de ser uma ótima maneira de fazer check-ins regulares com a sua equipe, a call pode ajudá-lo a acompanhar o que os colegas estão fazendo, além de colaborar para que todos mantenham um relacionamento que, de outra forma, poderia ser negligenciado.

Ler mais

Reflexão e Constância é Essencial para o seu Sucesso!

Diante de toda inovação da tecnologia a cada dia, nossa corrida diária no trabalho, dentro de casa, cuidando da família e dos filhos, devemos parar e pensar em nós, diariamente, durante 30 a 40 minutos. Refletir, planejar, desapegar, reorganizar as coisas dentro de nós, dentro do seu escritório, no seu computador, no seu celular, na sua casa, no seu quarto, em tudo que faça parte da sua vida.

E porque estamos falando de pessoas, organização, reflexão? Porque com essa organização e reflexão diária, tudo começa a fluir melhor. Os resultados na sua empresa e no seu trabalho, tem um alto impacto com esses exemplos citados e estão diretamente ligados em tudo na sua vida.

Você precisa estar com tudo organizado ao seu redor, e principalmente consigo mesmo. Não faça de qualquer jeito, se concentre, coloque amor e constância nas suas atividades. Se tudo estiver bem e você ainda achar que precisa de mais, procure ajuda! Use sua lista de contatos do seu telefone, fale com seu parceiro, com seu colega de trabalho.

Não temos que ter medo, ou vergonha de pedir ajuda para as pessoas, de expor nossos problemas. Isso também vale para a sua empresa. Se você é o gestor dela, faça essa autoanálise diariamente, é extremamente importante.

Da mesma forma que temos que estar conectados e organizados, nossa empresa também tem que estar assim, saudável. Com as melhores ferramentas e pessoas dentro dela.

Analise a saúde da sua empresa, analise se a sua empresa está sendo vista como deve ser, analise como você está agindo com seus clientes, quais as ferramentas e recursos está usando para vender o seu serviço ou produto.

Procurar por profissionais é a melhor forma para o sucesso pessoal e profissional, em qualquer ramo de negócios. Porém o mais importante disso tudo… é realizar essa reflexão (enxergar os nossos pontos fortes e fracos) e agir com constância na sua vida pessoal e profissional.

Ler mais

A importância do marketing nos dias atuais

Em primeiro lugar, devemos saber a definição do conceito de marketing para entender a sua importância nos dias atuais.

Philip Kotler, em 1967, definiu marketing sendo: “Um processo social e gerencial pelo qual indivíduos ou grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros.”

Diante dessa definição, a cada dia que passa, o marketing vem ocupando cada vez mais espaço e importância dentro das organizações, pois o marketing concentra a inteligência competitiva e estratégica da empresa, analizando todo o mercado, desde os seus pontos fortes e fracos, suas ameaças e oportunidades, como também os players, o branding e principalmente, elaborar estratrégias para atender a necessidades e desejos dos seus clientes.

Em tempos de retração do mercado, o marketing é o princial aliado das empresas para alavancar o crescimento, fidelizar clientes e alcaçar a rentabilidade do negócio, pois o marketing da um direcionamento a empresa por meio de suas analises e pesquisas oferecendo um produto/serviço ideal ao mercado e não oferecer ao produto/serviço um mercado ideal.

Diferentemente do que ainda se pensa, o marketing de fato não é só vendas ou só propaganda, a venda e a propagada fazem parte do marketing, de uma forma bem simples podemos resumir que o marketing é um estudo aprofundado do mercado, que hoje marketing são pesquisas e analises, de forma a fazer com que as empresas venham a alcançar os seus objetivos.

Ler mais